(54) 3333-9000
(54) 99983-0259

INFORMATIVOS

MAIS UM POUCO SOBRE PERÍODO DE TRANSIÇÃO

A gestação da vaca tem a duração de aproximadamente 284 dias, ou seja, um pouco mais do que 9 meses. A primeira metade da gestação (4,5 meses iniciais) é o período em que ocorrem o crescimento, desenvolvimento e a vascularização da placenta, juntamente com o desenvolvimento dos órgãos do feto. Já na segunda metade da gestação, principalmente nos últimos três meses finais, o feto já formado apresenta um rápido crescimento para atingir os 40 kg ao nascimento.

Ao final da gestação (período de transição), a vaca reduz o consumo de matéria seca em até 40%, ao mesmo tempo em que há aumento na demanda de energia para manter o crescimento rápido do feto e a produção de colostro.

Para suprir a demanda por energia são acionados diversos mecanismos como a degradação de gordura da própria vaca. As vacas que passam por esse estado de acentuada degradação em resposta a um desequilíbrio ocasionado pela mobilização excessiva de gordura, disfunção imune com resposta inflamatória exacerbada e estresse oxidativo, passam por um estado chamado de estresse metabólico.

As vacas passam pelo estresse metabólico quando não conseguem adaptar-se ao aumento intenso das necessidades nutricionais associado ao crescimento fetal e colostrogênese durante o período final da gestação. Os efeitos negativos do estresse metabólico são bastante estudados e têm impactos claros sobre a função imunológica, saúde e a produção da vaca em lactação.

Para diminuir o estresse metabólico nas vacas deve-se minimizar a queda do consumo de matéria seca no pré-parto e a intensidade do balanço energético negativo. Para tanto, utilizamos como artifício o monitoramento do escore de condição corporal (ECC), sendo que o ideal é que a vaca não perca mais do 0,5 ponto na escala de 1 a 5 de ECC durante o período de transição, de modo que o ECC esteja ao redor de 3,0 no momento da parição. Ainda, o conforto das fêmeas deve ser maximizado porque está associado ao aumento no consumo de matéria seca e redução de exigências nutricionais adicionais relacionadas ao estresse ambiental, social e térmico.

Sendo assim, o estresse metabólico durante o final da gestação deve ser minimizado com estratégias nutricionais, manejo, conforto e de saúde durante este período. Garantindo esses pontos fundamentais, haverá um bom ambiente uterino e, consequentemente, boa saúde da vaca e da cria.

Méd. Veterinário Giovani Menegon. DEPEC - COAGRIL

OUTROS INFORMATIVOS

UM MODO DE PREVENIR ACIDOSE EM GADO DE CORTE E LEITE

UM MODO DE PREVENIR ACIDOSE EM GADO DE CORTE E LEITE

LER MAIS
DESSECAÇÃO PARA O PLANTIO DE MILHO

DESSECAÇÃO PARA O PLANTIO DE MILHO

LER MAIS
Doenças na Cultura do Trigo.

Doenças na Cultura do Trigo.

LER MAIS