(54) 3333-9000
(54) 99983-0259

INFORMATIVOS

UM MODO DE PREVENIR ACIDOSE EM GADO DE CORTE E LEITE

A evolução nas áreas de nutrição e genética permitiu a melhoria da produção de carne e leite, a partir da obtenção de animais altamente produtivos. Para que isso seja alcançado, os bovinos necessitam ingerir altas quantidades de matéria seca, sendo as dietas, em sua maioria, ricas em concentrado e, com baixa quantidade de fibras.

Por conta disso, juntamente com o aumento da produtividade, surgiram doenças como a acidose. A acidose pode ser definida como o acúmulo de ácidos no trato gastrointestinal que pode acarretar em diversos prejuízos e agravamentos. A doença pode se manifestar na forma clínica e subclínica, sendo a segunda mais frequente nas propriedades.

A acidose subclínica ocorre quando o pH do rúmen cai para menos de 5,8, o que compromete a digestibilidade da dieta total. Em muitos casos, os produtores não percebem os sinais, por não serem graves e acontecerem de forma crônica. Esses sinais incluem oscilações no consumo e produção de leite, laminite, fezes amolecidas, redução da rumição e presença de alimentos mal digeridos nas fezes.

Na acidose clínica os sinais são mais evidentes, sendo que o animal pode morrer caso o tratamento não seja feito de maneira rápida. Esses sinais incluem redução no consumo de matéria seca, parada ruminal, ruminite, lesões ruminais, fraqueza e prostração, desidratação e toxemia.

Assim, tanto a acidose clínica, como a subclínica causam prejuízos econômicos aos produtores, sendo necessária a busca por uma solução para o problema. A solução mais eficaz está na prevenção da doença antes que essa se torne clínica e, portanto, irreversível.

Uma das formas efetivas de prevenção consiste no fornecimento de probióticos na dieta dos animais. Os probióticos são microrganismos vivos, leveduras e bactérias, por exemplo, que quando adicionados à alimentação animal causam efeitos positivos para sua saúde.

Com a melhoria na saúde ruminal e intestinal, a digestibilidade dos nutrientes fica melhorada, pois estes permanecem por maior tempo em um trato gastrointestinal saudável para serem digeridos e aproveitados. Além disso, a utilização do Probióticos pode prevenir a ocorrência de doenças na propriedade, pois o risco de crescimento de bactérias indesejáveis e absorção de toxinas pelo intestino fica reduzida.

Méd. Veterinário Giovani Menegon. DEPEC - COAGRIL

OUTROS INFORMATIVOS

DENTRO DA PORTEIRA

DENTRO DA PORTEIRA

LER MAIS
DESSECAÇÃO PARA O PLANTIO DE MILHO

DESSECAÇÃO PARA O PLANTIO DE MILHO

LER MAIS
MAIS UM POUCO SOBRE PERÍODO DE TRANSIÇÃO

MAIS UM POUCO SOBRE PERÍODO DE TRANSIÇÃO

LER MAIS