(54) 3333-9000
(54) 99983-0259

INFORMATIVOS

DESSECAÇÃO PARA O PLANTIO DA SOJA

Em nossa região o plantio da cultura da soja safra 2019/2020, inicia-se na segunda quinzena do mês de Outubro estendendo se até a segunda quinzena do mês de novembro, sendo essa considerada a melhor época de semeadura para a nossa região, onde a mesma é a cultura que mais gera renda e agrega valores na economia da nossa cidade.

 Em nosso município, as lavouras são conduzidas no sistema de plantio direto na palha, tendo que se atentar para um plano de rotação de culturas, incluindo-se as culturas do milho em safra normal, ou de milheto e capim Sudão em pós-colheita da cultura da soja nesse sistema, pois estas culturas estão incluídas entre as que mais aportam palha para o solo e com um bom sistema radicular.

No caso de plantas invasoras, principalmente a buva (Conyza Spp) que é a planta daninha que tem maior influencia nas perdas de produtividades na cultura da soja, Onde em pesquisas recentes mostrou-se que para uma planta de buva por m², resulta na perda de produtividade de 9,4sc de soja por há, pois a mesma tornou-se resistente ao glifosato, é uma planta daninha de mais difícil controle, principalmente plantas maiores encontradas em pastagens, pousios e também em lavouras implantadas com aveia para cobertura de solo, onde o manejo realizado com princípio ativo(Metsulfuron-Metilico),  produtos de nome comercial como (Ally®, Zartan®) entre outros,  durante o inverno não teve uma boa eficiência de controle, são as áreas que apresentam os maiores níveis de infestação.

Outra situação que ocorre com frequência nas lavouras e causa preocupação é a presença de Poaia-branca, Trapoeraba, Capim Rabo de Burro, invasoras estas consideradas de difícil controle quando não são controladas em estágios iniciais.

Para que tenhamos um correto funcionamento dos herbicidas, devemos adicionar adjuvante, na proporção de 0,5 % do volume da calda à ser aplicada, pois este produto tem como finalidade minimizar as perdas do herbicida em decorrência de fatores climáticos, como evitar a redução do tamanho de gotas, deriva em virtude do vento e evaporação das gotas entre outros.

Para termos bons resultados na prática de dessecação, temos que observar alguns fatores como: a temperatura, umidade relativa do ar, velocidade do vento, qualidade da água, tipo de bico, condições do pulverizador, bem como as condições de lavoura, ou seja, problemas que podem ocorrer em virtude de estresse das plantas daninhas que objetivamos atingir.

Temos que procurar implantar a cultura da soja e manter a mesma no limpo pelo maior período de tempo possível, evitando-se ao máximo a mato-competição, principalmente nos estágios iniciais de desenvolvimento da cultura, pois é nesta fase que a soja mais necessita de água, luz e nutrientes, para realizar a fotossíntese, e desta forma termos uma lavoura com um bom stand final de plantas bem nutridas, uniformes e bem desenvolvidas.

Maiores informações podem ser obtidas junto ao departamento técnico da Coagril.

 

 

Juliano Steffens

Detec.Coagril

OUTROS INFORMATIVOS

ESCOLHA DO HÍBRIDO PARA SILAGEM

ESCOLHA DO HÍBRIDO PARA SILAGEM

LER MAIS
PULGÕES NO TRIGO

PULGÕES NO TRIGO

LER MAIS
Dessecação para a implantação da cultura do milho

Dessecação para a implantação da cultura do milho

LER MAIS