(54) 3333-9000
(54) 99983-0259

INFORMATIVOS

ESCOLHA DO HÍBRIDO PARA SILAGEM

A escolha correta do híbrido de milho é uma das decisões mais importantes na produção de silagem, já que pode significar a diferença entre lucro e prejuízo na alimentação do rebanho.

Uma silagem de qualidade é resultado de uma lavoura de milho produtiva, com plantas de boa sanidade foliar, desenvolvidas em condições ambientais adequadas e com manejo agronômico apropriado.

Na escolha do híbrido, é fundamental atentar para as seguintes características:

1. Produtividade de grãos com estabilidade é resultado da adaptação e posicionamento correto do híbrido para a região. Além disso, a boa sanidade foliar maximiza a produção de grãos e da planta. O híbrido destinado à produção de silagem deve ter boa estabilidade agronômica, com maior tolerância à pragas e doenças, de modo que possa expressar as características produtivas desejadas, como alta produção de forragem (matéria seca - MS) com grande participação de grãos no seu conteúdo, que é a porção responsável por quase 65% da energia digestível contida na silagem, e a fração determinante para obtenção de maiores rendimentos de leite ou carne por hectare.

2. Produtividade de matéria seca de planta inteira em volume/ha com boa participação de grãos na massa ensilada é de fundamental importância para o sistema, otimiza custos e recursos do produtor. Um híbrido de porte alto, com peso total de planta em torno de um quilo (1 kg) com 35% de matéria seca no momento de corte e com a população adequada, resulta em elevada produtividade.

3. Como é preferencial a adoção de híbridos de porte mais alto, é muito importante atentar para a tolerância ao acamamento e quebramento. Ou seja, o híbrido a ser semeado para produção de silagem precisa apresentar boa qualidade de colmo e bom desenvolvimento radicular (raízes).

4. A qualidade forrageira é proveniente da digestibilidade da fibra em detergente neutro (DFDN), que interfere na ingestão de matéria seca. A maior digestibilidade da fibra faz com que o seu tempo de permanência (enchimento) no rúmem seja menor, permitindo maior ingestão de matéria seca de forragem pelos animais, demandando menos alimentos concentrados e/ou aumentando a produtividade do rebanho.


Estabelecidas as condições ideias de produtividade para grãos e forragem devemos considerar as características de digestibilidade da fração fibrosa (DFDN) da forragem, que além de fonte de energia é também necessária para otimizar a função ruminal.

Num segundo momento, devemos considerar ainda que a qualidade da silagem de milho sofre interferência de variáveis relacionadas ao manejo da ensilagem, como momento de corte, tamanho de picado, tempo de conservação no silo, relação concentrado volumoso na dieta, e consequentemente, no seu potencial de transformação em leite e carne.

A COAGRIL conta com diversos Híbridos de Milho a disposição de seus Associados e Clientes.

Sobre essas ou demais duvidas, estou à disposição no Departamento Pecuário da COAGRIL.

Méd. Vet. Giovani Menegon - DEPEC- COAGRIL

OUTROS INFORMATIVOS

Inoculação em Soja

Inoculação em Soja

LER MAIS
Manejo em pós-emergência na cultura do milho

Manejo em pós-emergência na cultura do milho

LER MAIS
DOENÇAS DA CULTURA DO TRIGO

DOENÇAS DA CULTURA DO TRIGO

LER MAIS